Acessibilidade nas escolas

No dia 10 de junho, a arquiteta Claudia Mota concedeu uma palestra aos donos de escola, diretores, coordenadores e professores sobre acessibilidade nas instituições de ensino nas instalações da Rabbit Marketing aqui em São Paulo.

Rabbit
Uma das palestras da Rabbit foi sobre acessibilidade nas escolas e nós, do Ateliê Urbano exploramos um tema polêmico e que ainda gera muitas dúvidas: a nova legislação sobre acessibilidade NBR 9050 atualizada em dezembro de 2015 e o Estatuto da Pessoa com Deficiência.

Mas afinal, o que é acessibilidade?

Acessibilidade é fazer com que todos tenham as mesmas condições de uso de espaços, tecnologias e instalações.

Na teoria, todas as instalações de uso público, privado ou coletivo devem possuir estrutura para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Porém sabemos que na prática muitas vezes isso não acontece. Pela lei 13.146/15 do Estatuto da pessoa com deficiência é preciso “assegurar e promover, em condições de igualdade, o exercício dos direitos e das liberdades por pessoas com deficiência, visando a sua inclusão social e cidadania”.

As escolas também precisam estar preparadas para receber pessoas com deficiência, sejam elas alunos, familiares, professores ou funcionários. É necessário espaço físico adaptado, práticas pedagógicas, profissionais especializados, participação da família e acessibilidade a provas de admissão.

E o que é a NBR-9050?

É uma norma da Associação Brasileira de Noemas Técinas (ABNT) sobre acessibilidade em projetos, construções e adaptações de edificações para a prevenção de acidentes, conforto no desempenho de diferentes atividades e aumento da produtividade (disponível gratuitamente neste link ).

E a quem essa legislação atende?

São cerca de 46 milhões de pessoas portadoras de algum tipo de deficiência, 25 milhões de obesos, 30 milhões de idosos, gestantes, vitimas de AVC e doenças degenerativas. Ou seja, 50% da população brasileira!

E sua escola, é acessível? Está dentro na nova norma? As exigências básicas para isso são:

  1. acesso restrito e universal a todos os ambientes.
  2. banheiros adaptados
  3. comunicação e sinalização

Quais rampas eu devo usar? Qual a inclinação necessária? Preciso ter elevador na minha escola? Os corredores tem o tamanho adequado? Nos banheiros, o modelo do vaso sanitário é o ideal?

Para solucionar todos estes problemas, deve-se primeiro ter conhecimento da legislação, fazer a negociação de prazos, verificar quais pontos são necessários para a adequação física dos espaços, executar o projeto e só depois planejar a verba e o cronograma de obra. Contrate um especialista, levante os problemas, monte um plano e por último execute!

Qualquer dúvida, entre em contato com a gente pelo e-mail: atelieurbano@atelieurbano.com.br.

Nossa equipe está a disposição para esclarecer suas dúvidas e montar um plano de ação para que a sua escola seja acessível para todos.

https://youtu.be/ouMZl5ImEJ0

O Ateliê Urbano foi formado em 2003 e hoje tem como sócias as arquitetas Carolina Mazzei e Claudia Mota que dirigem os departamentos de Paisagismo e Arquitetura, respectivamente. A equipe do Ateliê Urbano assume cada trabalho como um novo desafio e usa o projeto como ferramenta de desenvolvimento de idéias inovadoras que possam transformar o edifício e a cidade.

Você também pode gostar

Comente